O que é Epilepsia

O que é epilepsia? Epilepsia se caracteriza basicamente por manifestações neurológicas que vão desde crises de ausência, em que a pessoa que está parada e de repente tem uma ausência, parecendo que desapareceu do ambiente e que depois volta ao normal; até crises convulsivas clássicas aquelas que a pessoa se debate, que serra os dentes e tem aquele quadro que assusta todo mundo que tá perto a outros casos mais confusos um pouco, tem pessoas que sentem uma sensação estranha visceral e parece que pega o estômago e é seguido de uma confusão mental e uma ausência.

Por que isso acontece?

Por que a epilepsia causada por um foco que desorganiza as ondas cerebrais e dependendo do lugar do cérebro em que esse foco é desorganizado a pessoa pode ter determinados sintomas, se pega uma área motora é possível ter a epilepsia que vai atingir os músculos com contrações musculares repetidas que podem se espalhar pelo corpo todo ou podem pegar só uma determinada área do corpo.

Como por exemplo, ter contração só no braço direito por exemplo e o resto do corpo é mantido ou ter contração no corpo inteiro. Se pegar uma área dessas que atinge a vigília pode dar essas crises de ausência, onde a pessoa tá normal e de repente ela some do ambiente e quando alguém tentar despertá-la e a pessoa voltar, ela não tem a menor noção do que ocorreu.

A epilepsia é um mau do século XXI?

A epilepsia é conhecida a séculos na medicina e ela sempre teve uma característica de assustar os outros que estão perto e criou-se vários mitos, várias lendas no passado que se atribui a razões religiosas, muitas pessoas achavam que o demônio que tomava conta daquela pessoa, se criou um estigma que se persiste até hoje infelizmente.

A epilepsia é contagiosa?

A Epilepsia não é doença contagiosa, ela não tem qualquer risco de transmissão o único problema é uma desarticulação na organização dessas ondas cerebrais.

Quais orientações para socorrer uma pessoa com ataque epilético?

Quando você tiver junto com alguém que sofre de um ataque epilético naquele momento, há coisas que não podem ser feitas de jeito nenhum, tem gente que diz que não pode deixar a pessoa porque vai morder a língua e que vai sangrar, então tem que colocar alguma coisa na boca. Isso não é recomendado.

Tome os seguintes cuidados primeiro, se tem alguém com ataque epilético:

  1. Você tira de perto as coisas que ele pode se machucar ou bater em lugares que acabem ferindo seu corpo.
  2. Não coloca nada na boca da pessoa.
  3. Não coloque colher muito menos seu dedo na boca da pessoa, porque você vai tomar uma mordida difícil de soltar depois.
  4. Não coloque um objeto para impedir que a pessoa morda a língua, pois é melhor que ela morda a língua. Mesmo que sangre um pouco depois a língua se cura, isso é melhor do que você colocar um objeto que pode arrebentar os dentes por exemplo, pode machucar e fazer a gengiva sangrar com cortes muito profundos.
  5. A única coisa que tem que fazer é deixar a pessoa deitada quietinha o mais protegido possível dos objetos, garantindo que nada cai em cima dela e esperar ela se debater.

É um pouco aflitivo você vê a pessoa se debatendo naquele momento mas não há nada a fazer, não vai acontecer nada porque esses ataques epiléticos tem uma duração de segundos, no máximo alguns minutos depois para.

Depois que acabou o ataque, leve a pessoa em um Pronto Socorro para que ela seja medicada, porque é preciso tomar medicamentos que a proteja, medicamentos conhecidos como anticonvulsivante, de repente a pessoa há vinha tomando esse remédio e esqueceu de tomar e aí o que tem que fazer é dar essa orientação, mais nada.

Se morder a língua, paciência, vai parar de sangrar depois!!

 

Aprenda reconhecer uma crise de ausência:

 

Equipe Saúde Família

Publicado em Cuidados com a Saúde, Epilepsia | Deixe o seu comentário

Diabetes e a importância em manter o controle da doença

Cuidados necessários com a diabetes

O único jeito de saber os níveis de açúcar no sangue é medindo a glicose e conhecendo qual a melhor alimentação para diabéticos. É bem simples e rápido, é importante lembrar que o exame deve ser feito em jejum, sendo um jejum para adulto de 8 horas e para criança 3 horas são suficientes.

Como medir a Glicose

Será preciso que tenha o kit medidor de glicose, composto por uma “agulha”, tiras para coleta do sangue e o aparelho medidor.

Lave a mão, seque e jogue um pouquinho de álcool no dedo para finalizar a higienização, pegue o aparelhinho que tem uma agulha e dispara essa agulha no dedo, esprema para sair uma gotinha de sangue neste aparelhinho, depois passe a gota de sangue para fita. Esta fita que vai fazer a leitura do açúcar no sangue e mostrando o resultado.

Quando a diabetes está normal

Após medir o nível de glicose no sangue, estará normal se o valor não for acima de 126, se passar dessa faixa você deve fazer novamente a medição no dia seguinte, outra vez respeitando o jejum de 8 horas para adulto 3 horas para criança se der acima de 126 mais uma vez aí precisa procurar um médico para fazer outros exames.

 

Quais os sintomas

Quem está com faixa do diabetes acima do normal, geralmente sentirá os seguintes sintomas:

  1. Boca seca o tempo todo é sinal de alerta;
  2. Sede que não passa mesmo quando você bebe muita água é um sintomas de diabetes;
  3. Fome exagerada;
  4. Emagrecimento;
  5. Urina em excesso;
  6. Cansaço;
  7. Dores nas pernas;
  8. Machucados que não cicatrizam;
  9. Visão embaçada.

 

Mas mesmo que você não tenha nenhum desses sintomas faça o exame de sangue para medir a glicose uma vez por ano.

 

Alimentação para diabéticos

As células do organismo precisam de energia e a energia vem da glicose. A glicose está presente em um simples cafezinho, além de estar presente nos carboidratos de um modo geral como pão, macarrão, arroz, batata, mandioca.

Só que a glicose sozinha não consegue entrar dentro das células, ela precisa que alguém abra uma porta um canal dentro da célula por onde ela possa entrar. Quem é que vai fazer isso? A insulina.

A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas o pâncreas fica no fundo da cavidade abdominal, ele produz a insulina e a insulina é que vai abrir essa porta na célula para a glicose poder entrar no organismo.

 

O que acontece no diabetes do tipo 2

O pâncreas produz menos insulina do que precisa ou existe um excesso de glicose que aquela insulina não dá conta de abrir as portas mas ela não abre algumas portas, não abre o suficiente para que a glicose corra na circulação.

 

O que acontece no diabete tipo 1

Aparece quando o pâncreas simplesmente para de produzir insulina, não produz mais glicose com isso ela não consegue penetrar.

Sem controle o diabetes pode virar uma doença muito grave mas para evitar as complicações você precisa saber o que o diabético pode comer, então corte o açúcar da sua vida e coma menos carboidrato, pão, macarrão, batata, arroz e além desses cuidados faça exercícios e diga adeus à vida sedentária, atividade física é absolutamente fundamental.

 

Veja uma matéria bem interessante realizada pelo Globo Repórter.

 

Equipe Saúde Família

Publicado em Alimentação, Cuidados com a Saúde, Diabetes | Tags , , , | Deixe o seu comentário